O mundo à beira de uma calamidade global causada por excesso de plásticos

O mundo à beira de uma calamidade global causada por excesso de plásticos
Fonte: G1
Na lanchonete, pedi a lata de refrigerante e, junto, veio o canudo.

Eu iria pegá-lo, rasgar a embalagem de papel fino, jogar no lixo. Iria usá-lo só um pouco porque, de verdade, não gosto de beber refrigerante no canudo. Seria só por hábito mesmo, ou para não deixar de aceitar algo que me deram. E iria abandoná-lo logo depois, também no lixo. Seria quase um ato reflexo.

…continue lendo em português aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *