Dia do Meio Ambiente? Má notícia. Mas também boa notícia sobre plástico biodegradável e nossa homenagem ao d2w

No dia Mundial do Meio Ambiente não temos muito o que comemorar com relação ao lixo plástico.
Porém a boa notícia é que grande parte desta poluição já vem sendo reduzida pelos modernos plásticos biodegradáveis por processo de oxidação há mais de duas décadas.
Inclusive no Brasil, onde indústrias e empresas sérias fabricam e usam plásticos com aditivo certificado pela OPA e IDEAIS.
Estamos nesta data parabenizando a OPA, a Symphony Environmental, a RES Brasil e a internacionalmente reconhecida tecnologia d2w que durante todo este tempo reduziram a poluição plástica a apenas água, biomassa e dióxido de carbono.
A Symphony noticiou recentemente o sucesso na biodegradação de produtos d2w em água do mar.

Vamos para a má notícia relacionada ao que acontece quando descartamos resíduos plásticos no meio ambiente…

Cervo em Nara morre com 3Kg de plástico no estômago
Fonte: PortalMie

Crescente número de espécies nacionalmente protegidas está sendo afetado pelo consumo de sacolas de plástico.
Um dos destaques de uma visita a Nara é a chance de caminhar perto dos cervos que circulam livremente pela cidade. E com mais de dois milhões de visitantes estrangeiros passando pelo local só no ano passado, alguns dos cervos na área têm sido bem alimentados.
No entanto parece que alguns turistas vêm alimentando esses animais protegidos nacionalmente com algo além dos biscoitos de arroz (senbei) vendidos em barraquinhas na área. De acordo com um relatório recente da Associação de Bem-Estar dos Cervos de Nara, os animais vêm comendo plástico, o que levou à morte de vários nos últimos meses.

Um veterinário da associação disse que um cervo com aparência doente foi encontrado perto do templo Todai no Parque de Nara em 23 de março, e embora eles tenham tentado alimentá-lo, o animal recusou a comida. A fêmea de 17 anos que pesava 30 quilos – 10 a menos que o normal – morreu no dia seguinte.

Uma autópsia revelou que seu estômago estava quase inteiramente preenchido com material endurecido que parecia um tufo de sacolas de polietileno. A massa pesava 3,2 quilos.

Desde março deste ano, um total de oito cervos que tiveram mortes de causas desconhecidas passaram por autópsia. Descobriu-se que seis tinham sacolas plásticas em seus estômagos, com a maior massa pesando 4,3 quilos.

A associação está agora pedindo encarecidamente ao público que ajude a salvar os cervos deles mesmos ao terem mais cuidado com o que eles permitem aos animais comerem.

Placas em várias áreas de Nara indicam claramente que os cervos não devem ser alimentados com qualquer outra coisa além dos senbei, mas turistas foram vistos oferecendo comida dentro de saquinhos de plástico aos cervos. Em outros casos os animais mordem as sacolas de plásticos que os turistas carregam.

Os cervos não são capazes de distinguir a comida do plástico, e se os turistas estão carregando comidas ou doces dentro das sacolas, que estão na altura dos narizes dos animais, o senso aguçado de faro deles os levarão a acreditar que a sacola e seu conteúdo são ambos comestíveis.

A questão do lixo na área do parque de Nara também é um problema para a população local de cervos, então os visitantes estão sendo lembrados a não descartar resíduos em qualquer lugar.

Em um esforço para ajudar a combater o problema, a associação desenvolveu uma sacola ecologicamente correta feita a partir de materiais naturais, a fim de evitar qualquer possibilidade de plástico ser consumido inadvertidamente.

Os comentários estão encerrados.